Mar

 Deixa escrever-te, verde mar antigo,
largo oceano, velho deus limoso,
coração sempre lírico, choroso,
e terno visionário, meu amigo.

Das bandas do poente lamentoso
quando o vermelho sol vai ter contigo,
- nada é mais grande, nobre e doloroso
do que tu, vasto e humido jazigo!
António Gomes Leal

13 comentários:

Merce disse...

Soamente saben o duro que é o mar os que del subsisten, mais tamen o aman coa mesma intensidade.

En b/n intensificase a inmensidade do mar e o traballo dos mariñeiros.

Fermosa composicion, imaxe, texto, musica :)

Unha aperta

Ana Lúcia disse...

Excelente imagem da faina destes homens. O que pescariam?!

ruimnm disse...

É isso, o mar é o amigo que dá o ganha-pão ao pescador e muitas vezes o seu carrasco...

Bonito P&B de uma cena da nossa costa.

R.Ferrari disse...

Belo poema e uma linda foto em P&B. Parabens.

Ñoco Le Bolo disse...

• con la mirada atenta…

Dura la vida del mar.
Y ricos frutos que nos traen.
Foto muy bien compuesta.

• saludos
____________________________
CR & LMA

Sérgio Aires disse...

Como (quase) sempre, as mais simples (que não as mais fáceis) são as mais belas. Parabéns!

tossan® disse...

Nada é maior do que o mar...Nem a terra! Bela poesia e p&b fantástica! Abraço

QUIM disse...

Gostei do seu blog! Belas fotos e belos poemas!

E boa música!

Paz disse...

Very nice photo.

Paz

Ángel Corrochano disse...

Se me antoja como un gran homenaje a los hombres del mar. Bella fotografía, excelente elección en los versos.
Un abrazo amigo

Scott F. Schilling disse...

Very nice tones in this and I like the simple composition!

amatamari© disse...

Beautiful image: the simplicity of the fishermen and the strength of their existence so hard ...
Thanks!

jlge disse...

Ese mar tan desconocido, duro para el trabajo y maravilloso a la vez, un saludo.